sexta-feira, 31 de outubro de 2014

MORGANA, A FEITICEIRA DO AMOR


Almost Innocent

MORGANA VIVIA PERTO AO CASTELO DA CONDESSA.
QUERIA CONHECÊ-LA, MAS NADA PODIA FAZER
ERA UMA MERA SERVA, NADA TINHA A LHE OFERECER...

TRAJES SIMPLES, CABELOS AMARRADOS APENAS POR UMA FITA, SAPATILHAS COMUNS, ESPARTILHO CINTURADO, ERA ASSIM QUE MORGANA SE VESTIA.

NO CASTELO, APENAS ENTRAVAM OS CONVIDADOS DA CONDESSA E SEUS PRÓPRIOS SERVOS, MAIS NINGUÉM...
MORGANA COLOCARA NA CABEÇA QUE ALI ENTRARIA, MESMO QUE TIVESSE QUE USAR DE SUA ANCESTRAL MAGIA...

TRADIÇÃO CELTA, PASSADA DE MÃE PARA FILHA,
FAZIAM DA LUA, FONTE DE SUA SABEDORIA.

FEITICEIRA DE NASCIMENTO,
MAS APENAS DO AMOR, ERA FEITA SUA MAGIA!
LOUCOS FICAVAM DE PAIXÃO
A QUEM ELA DESSE SUA POÇÃO...

ENTRARIA NO CASTELO ATRAVÉS DESSE SORTILÉGIO:
AOS GUARDAS, UM VIDRINHO DARIA:
NELE, A TAL POÇÃO ESTARIA...

 TOMADOS DE PAIXÃO AVASSALADORA,
A DEIXARIAM ENTRAR, SEM MAIS PESTANEJAR...

MORGANA, FINALMENTE COM A CONDESSA IRIA FALAR
E DENTRO EM POUCO, 
SUA DAMA DE COMPANHIA, ELA SE TORNARIA...

ERA ESSE SEU MAIOR DESEJO:
ALI, NO CASTELO IMPONENTE, MORAR,
AINDA QUE FOSSE, DA CONDESSA,
A  SUA DAMA, PARTICULAR...

FÁTIMA ABREU


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Novamente a Tecnologia Assusta

Até que ponto a virtualidade interfere em nossas vidas atualmente?
Muito, eu diria...
Bem assim:
Ninguém olha onde pisa... 
Não escutam buzinas, não prestam atenção no outro... 
Triste a que ponto se chega com tanta tecnologia.

O ser humano não se educa para as coisas. Ele extrapola tudo! 
Foi assim com a natureza (a estragou de tantos extrair seus recursos e enviar poluentes  para a atmosfera), e é assim com a tecnologia atual.
O homem não estava preparado somente para receber a tecnologia como ferramenta para ajudar nos seus estudos, negócios e tornar mais prática a vida cotidiana, como marcar consultas médicas e exames, vender e comprar, pagar contas...

Agora, há um mundo de gente que parece alheio ao entorno (a ponto de serem atropelados), que come teclando, dorme com o celular do lado, leva para o banheiro, etc.
Fico nervosa com isso.

Vejo minha filha o tempo todo teclando no celular, o dia inteiro, em toda parte que ela esteja...
Espero que esse não seja o fim dos diálogos entre pais e filhos  e de todo o resto da sociedade existente.

Fátima Abreu



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

MARIBEL: OUTRO TRECHO DO ROMANCE




 Mais um trecho do meu romance: MARIBEL NÃO TINHA OLHOS COR DO CÉU


Marília procurou um pensionato baratinho para a dormida e café da manhã.
 No dia seguinte, procuraria o estúdio fotográfico, no endereço que estava em suas mãos... Nada tinha a perder. Não havia ninguém que a impedisse de fazer as fotografias. Claro, se sua mãe estivesse ainda viva, jamais deixaria tal coisa...
Agora era diferente: Ela agia apenas por si. 
O estúdio era no subúrbio, pegou uma lotação e chegou finalmente.
Era um prédio antigo, mas bonito: Via-se que fora reformado recentemente, pois a tinta era nova. 
Ela subiu ao terceiro andar pelas escadas, pois mesmo tendo elevador, ela tinha muito receio deles... Dizia-se que quando faltava energia elétrica, as pessoas presas no elevador, poderiam até morrer de pânico, se tivesse claustrofobia. Pois demorava muito a assistência técnica...


Marília com certeza morreria, pois era claustrofóbica.
Subiu a escada sem se incomodar com o pequeno esforço. Chegou à porta do estúdio que lembrava a de detetives em filme americanos: Madeira embaixo e vidro com o nome em cima.
Tocou a campainha e uma moça sorridente veio abrir:
_ Bom dia. Tem hora marcada com o Sr Francisco?
_ Bom dia. Ele não me disse que precisaria marcar hora para ser atendida.  Deu-me este cartão, caso eu precisasse procurar emprego...
_ Ah, sim então não é para buscar fotografias encomendadas. Trata-se de fazer as fotos... Ok entre por aqui e aguarde sentada aqui na recepção, que vou anunciá-la... Como se chama?
_ Marília Fontes.
A recepcionista foi até uma das salas e permaneceu por minutos, que parecera uma eternidade para Marília. Voltou então e disse-lhe:
_ Srta Marília, siga por ali, por favor... Ele a aguarda na sala três.
A moça, (que parecia muito com Carmem Miranda) com uma máquina fotográfica ainda na mão, piscou em seguida, talvez para indicar que Marília devesse se preparar para qualquer coisa...

FÁTIMA ABREU 

QUEM QUISER COMPRAR MEU LIVRO EM E-BOOK, ENVIE MSGM PARA MEU E-MAIL QUE ESTÁ DO LADO DIREITO DO BLOG. 
CUSTA APENAS 10 REAIS E AINDA LEVA DE BRINDE O LIVRO MAIS RECENTE
PEÇA JÁ O SEU!

Brenda


classics.

Brenda nunca soubera da verdade.
Laureano não a traíra: Tudo fazia parte de uma investigação em que ele trabalhava, já que era um bom policial.
Entretanto nunca houve a reconciliação do casal. Brenda veio embora,de volta para o Brasil, esquecendo a Europa de vez.
Consequentemente, tudo que isso envolvia: Até os lindos momentos que teve ao lado de seu grande amor, mas que pelos mal entendidos não explicados, ficaram na névoa turva do passado.
Levou a 'sementinha'  gerada desse amor dentro de si: Lauro já crescia em seu útero, mas infelizmente ela não sobreviveu ao parto. Lauro foi criado por Maribel , sua mãe adotiva.
De onde Brenda estivesse, estaria satisfeita:
Ninguém melhor para criar e educar seu filho que Maribel, afinal, ela mesma havia sido criada por ela...

Quer saber mais?
Leia meu livro:
"MARIBEL NÃO TINHA OLHOS COR DO CÉU"

http://www.clubedeautores.com.br/book/151374--Maribel_Nao_Tinha_Olhos_Cor_Do_Ceu 

https://www.agbook.com.br/book/148018--Maribel_Nao_Tinha_Olhos_Cor_Do_Ceu

Maribel: Introdução



INTRODUÇÃO


A vida é uma constante de escolhas, algumas nos fazem bem, outras não. Mas é com os erros que aprendemos. Como o café sem açúcar de um ébrio: Tem que ser tomado em goles, para se curar da ressaca...
O sabor não é o mesmo de um café adoçado, mas ainda assim, é necessário.
Tal é essa experiência de se viver: Gostos, desgostos, alegrias, tristezas, e por aí vai...
Resta-nos aproveitar pequenos bons momentos, para nos prepararmos para os que vem a seguir...

Maribel, suas amigas ou pessoas conhecidas, são a expressão desses pensamentos. Mulheres que lutam se ‘afogam’ em lágrimas, mas que em alguns momentos, se sentem um pouco felizes.
Maribel é como eu, talvez uma das muitas que sou.

Fátima Abreu

                                        É um livro passado em 2 épocas: atual e entre anos 50/60
                                        Conta a história de Maribel, Brenda e outras personagens.


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

PARA QUEM QUER LER SOBRE ESPIRITUALIDADE





































Para quem quer ler sobre espiritualidade, tenho cinco livros que trata dessa temática de formas diferentes:

Em O "ESQUECIMENTO" AZUL, a trama se passa com a personagem Francis Anjos, uma escritora carioca que acorda "do lado de lá", em outro plano.
Aprende dia a dia a conviver e entender sua nova existência em espírito, as coisas que pode fazer, as mudanças, e sobre um amor que atravessou eras...


Já em "ENCONTRO CASUAL?" o drama contemporâneo (com toques de policial), ambientado entre França e Inglaterra, está centrado no casal de gêmeos: Micaela e Jordan.
Depois do desencarne de Micaela, ela tenta mostrar
à outra personagem como poderá usar seus dons mediúnicos em favor das pessoas.



No meu livro de ficção científica: "A VERDADE DE GAIA", também existe alusão aos outros planos de existência, ou se preferir, dimensões diferentes dessa que habitamos na Terra.


Em: "UM CONTO DE AREIA & MAR" , um conto passado em fins do século XIX, a personagem principal, Irina (produto da minha ficção), é estudiosa de teosofia, e como se aplica na vida diária. Em certo momento, ela usa de seu conhecimento para acalmar o temperamento de Gaston Verne, (personagem verídico, sobrinho do autor Julio Verne), dando-lhe passes magnéticos.


"FIOS DO DESTINO , é um livro de contos do 'sobrenatural', sobre experiências com o mundo espiritual e da chamada paranormalidade:  Relatadas por algumas pessoas, colhi durante o decorrer dos anos, para juntar em  apenas um livro. Algumas dessas ocorrências, foram vividas pela minha família e por mim mesma...


Quem quiser alguns deles ou (até todos), em e- book, envie e-mail para:
fatuquinha@gmail.com , dizendo quais escolheu.
Darei os detalhes para depósito em minha conta de 10 REAIS para cada par de e-books. O depósito pode ser feito me casas lotéricas também. Depois disso, enviarei os arquivos de PDFs + capas respectivas no e-mail.

Caso queira em livros impressos (porém mais caro), acesse o link da minha página na editora do CDA.  Clique sobre as obras para ler as sinopses e comprar online em cartão (aceitam vários) ou boleto bancário.

https://www.clubedeautores.com.br/authors/32550

 Grata desde já!

Fátima Abreu




PARA QUEM QUER LER EROTISMO





Você que entra no Google procurando contos eróticos e acaba achando meu blog Delírios (vejo que isso aparece sempre na pesquisa):
Por que então, não lê meus livros eróticos em e-book?
Basta enviar um e-mail para: fatuquinha@gmail.com
Eu entro em contato e dou os detalhes.

Meus livros eróticos:

A TRILOGIA DO '"CÍRCULO", como o nome já diz, são 3 livros em um volume só:
O LUAR DE SAPUCAIA e A FRATERNIDADE DO "CÍRCULO" VOLs 1 e 2- 
ROMANCE ERÓTICO CONTEMPORÂNEO - POLICIAL, COM MUITAS VARIANTES DE SEXO:





FLEURINE & MORGANA   - ROMANCE ERÓTICO MEDIEVAL : COMO PANO DE FUNDO AS CRUZADAS, O DRUIDISMO, A CULTURA CELTA E SEXO:




ESSE É O MEU LAR






O amanhã me incomoda.
O presente me transtorna.
O passado foi mera expiação: Um carma a ser vivido.
Sentir... Isso nos mantém vivos.
Queria poder mudar algo.
Não vejo como.
A estrada dá sempre no mesmo lugar:
Ando em círculos.

Queria não precisar falar de mim.
Poder dizer apenas coisas 'coloridas'.
Mas, esse é meu Lar.
A minha "casa" de fantasia.
Aqui abro as portas para meu leitor(a), todos os dias.

Não posso chegar aos limites de falar com as paredes.
Dizem por aí, que elas tem ouvidos...
Bem, só se for os da vizinhança. 
Porque as paredes não me ouvem no cotidiano.
Não digo uma palavra se quer, para elas.
Em contrapartida, escrevo.
Nas minhas linhas, vão os meus apelos do coração.
Os sentimentos mudos, guardados. 
E somente para quem me lê, são revelados:
O mundo.

Fátima Abreu

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

O Caipira e o ET ( conto ) REPUBLICADO

Foto de TATI STOCK
******************

A escrita aqui é regional, bem caipira (não segue a norma culta) 

 

"O CAIPIRA E O ET"

O caipira morava em uma fazenda de um senhor chamado José Pedro, que era seu patrão.
O caipira era Tonico, fazia serviços gerais dentro da fazenda, juntamente com mais dois homens: Juca e Sampaio...
A fazenda era bem grande, três homens, ainda era pouco para cuidar. A esposa do dono, chamava-se Deolinda, criou o caipira Tonico, como se fosse filho, porque ele perdeu os pais em um incêndio na fazenda, há muitos anos...
E além disso, ela nunca pode ter seus próprios filhos.
Tonico era um "mocorongo", vivia tropeçando aqui e ali, deixando tudo cair...
Mesmo assim, era Tonico quem comandava a Fazenda Bem Querer, e assim, dava ordens nos dois outros homens.
Deolinda, fazia questão de expressar seu carinho pelo filho adotivo, e quando ele fazia aniversário, ela organizava uma grande festa na região, convidando as pessoas das fazendas vizinhas.
Como já estava com dezoito anos, José Pedro, resolveu dar-lhe de presente, um jipe.
Ele ficou alvoroçado com o presente e disse muito no seu jeitinho de matuto:

_ Brigado, Nhô Zé Pedro. O sinhô é iguar um pai, mesmo pra mim!
_ Que nada! Não precisa agradecer, pois se você faz por merecer!

Tonico subiu no jipe, e foi passear pela região. Queria mostrá-lo pra sua amiga de quem gostava muito: Simone. Ela morava na fazenda do lado, a Fazenda Boa Vista.
Já era fim de tarde, quando ele gritou lá da porteira:

_ Simone! Vem cá ver meu presente!
A moça apareceu na varanda e respondeu:

_ Calma, já vou! Êta afobação!
Tonico, vendo a moça se aproximando deu um pulo do jipe, estatelando-se no chão...
Limpou a poeira com as mãos e disse:

_ Oia só que belezura de jipe, Nhô Zé Pedro me deu!
_ Você merece meu amigo! Trabalha muito, é esforçado!
_ É vredade! Mas vim aqui pra mode ocê dá um passeio nele cumigo...
_ Mas já vai anoitecer...Deixa pra amanhã...
_ Amanhã eu vou ficar na lida, o dia interim. Vamô agora, vamo?
_ Tá bom, tá certo. Mas não vamos demorar!
_ Então tá...Sobe aí, no meu jipão!

Os dois foram conversando e rindo muito pelo caminho que levava ao rio. Até que de um minuto para o outro, o carro parou. Tonico ficou muito chateado.
O caipira tentou fazer o jipe pegar e nada...
Simone já estava ficando preocupada porque a noite estava chegando.

Foi quando eles escutaram um grande barulho e olharam para o céu.
Lá estava uma nave espacial, com raios coloridos à volta...
Sobre suas cabeças pairava a nave, e Simone ficou catatônica.
Totalmente paralisada, não movia nenhum músculo!
Tonico entretanto, não mudou nada e pensou: "Deve de sê uma brincadeira desse pessoar da televisão que di vez em quando vem pra essas banda.
Vou esperá pra vê o qui acontece"
Um faixo de luz interrompeu os pensamentos do caipira...
De olhos arregalados viu à sua frente um ser pequeno de olhos repuxados para cima.
O ser olhou para o caipira e disse:

_ Mas o que você é? Uma raça inteligente desse planeta, ou um animal?
O caipira não sabia como estava entendendo o que o ser dizia. Perguntou:

_ Mas se ocê é de otro planeta, cumé que eu entendo o que ocê tá dizendo?
_ Ah, fácil: Uso um tradutor adaptado para línguas desse planetinha. Vim pesquisar as formas de vida inteligente e sua tecnologia. Muito embora, a de meu planeta seja infinitamente maior!
_ Ah! Ocê tá falando daquelas coisa qui a gente vê nos jorná e na televisão!

_ Você não me parece vida inteligente! Será que eu me enganei de planeta? Aqui é a Terra, mesmo?
_ Ocê tá na Terra sim. Só que eu num sô cientista não. Eles ficam mais pras bandas dos States...
_ Então acho que vou propor ao meu comando, que mudemos a direção da nave, para esse tal de "States".
_ Ocê vai chegar rapidinho lá, nessa baita navona! Se de avião, já se chega...Que dirá nisso aí!
_ Obrigado pela sua cooperação ser da Terra! Vou deixar um chip em você para que possa te encontrar novamente.

Dizendo isso, o ET, deu uma injeção na pele do caipira, onde foi introduzido um micro-chip.
A nave sumiu como chegou: muito rápida...
Simone finalmente saiu daquele torpor que se encontrava. Perguntou ao caipira:

_ Mas o que aconteceu, Tonico?
_ Ocê num ia acreditá...Mas vá lá...Um ET desses que aparece nos firme, apariceu aqui e colocou ni mim, um tar de chip...

Simone desmaiou e Tonico correu para acudir a amiga, colocando-a no jipe.
Inacreditavelmente, o jipe funcionou, do nada!
Simone só recobrou os sentidos quando estava chegando em sua fazenda.
Entregou Simone para seus pais, e disse:

_ Ela desmaiou pru que num guentou sabê que o ET colocou um chip nu meu braço...
Os pais da moça, sem entender nada, disseram que ele voltasse pra casa, porque já estava variando...
A noite já ia alta!
Tonico disse:

_ Intão boas noite, procês!
Pegou o jipe e foi para casa. Chegando na fazenda, contou tudo que aconteceu para os dois amigos da lida. Sampaio disse:
_ Esse aí, ganhou o jipe, deu uma volta com aquela moça bonita, e agora vem com essa história para justificar a demora...
O outro amigo comentou:

_ É mesmo, inventar tudo isso, e eu achando que ele não era esperto!
Os dois empregados da fazenda riam... Tonico ficou parado pensando:
"Será que o ET cunsiguiu incontrá o caminho pros States?"
Fátima Abreu

terça-feira, 21 de outubro de 2014

O BAUZINHO



Era pequeno, o baú.
Guardava segredos de outros tempos.
Fotografias em preto e branco,
aventuras contatas em papel...

O bauzinho era marrom, adornado com rodelinhas de metal, réplica perfeita, de um baú oriental...

Havia também, um dólar,
com a ponta um pouco rasgada...
Um mundo inteirinho, guardado ali:
No bauzinho...

Odores de pétalas de rosas vermelhas,
Perdidos pelo tempo...
No pequeno baú, depositadas...

Lembravam outra época, a da juventude, que já estava um pouco longe...
A senhora, ainda não tinha os cabelos inteiramente brancos, apenas a borda que emoldurava seu rosto.
Cuidava disto pintando mensalmente...
E ninguém seria capaz de dizer,
A idade que tinha, realmente.

A dona do bauzinho, de vez em quando o pegava.
Nostalgicamente, sua vida ali estava...

Tinha também um cd, com uma declaração de amor,
Que seu falecido marido, a enviou...

Além de fotos, pétalas de rosas, cd e memórias, o bauzinho ainda guardava mais uma coisinha:
As lágrimas da senhora, dentro de um vidrinho.
Soro natural caído de seus olhos, cor de mel,
quando em certo momento, lembrou dos entes amados,
que estavam no céu...

Fátima Abreu

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

A MENINA SAYONARA- REPUBLICADO

CRÔNICA
*Tinha oito anos quando isso se deu. Mas, me lembro como se fosse hoje...

A menina Sayonara era mais uma das muitas alunas da classe do segundo ano primário.
Tinha olhinhos puxados como se fosse oriental, acho que por ter essa aparência é que lhe deram um nome do vocabulário japonês.
Mas seus pais eram mesmo do nordeste brasileiro.

Era triste a menina Sayonara. 
Diziam ( aqueles que a conheciam mais )que era "meio porquinha" também...
Corria o boato que ela comia s sujeiras do nariz.
Outras pessoas diziam que a casa dela, tinha baratas para todo lado, e que eram 'cria da casa', como um cãozinho de estimação.
Vai se saber!

Um dia, veio a notícia dada pela professora, ainda abalada:
A menina Sayonara havia morrido!
Os colegas de classe se perguntavam: Como?

A professora usando de calma, disse para os alunos:
Sayonara morreu porque não quis mais viver, apenas isso vocês devem saber.

Dias depois, minha família ficou sabendo que ela havia tomado água sanitária, e quando as pessoas chegaram para socorrê-la, já era tarde demais.

A menina Sayonara dera ADEUS ao mundo, assim como seu nome por tragédia anunciada já sugeria...

Fátima Abreu






Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=231513#ixzz278sJPfhe
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives