quinta-feira, 17 de maio de 2018

AMORES PROIBIDOS




MELHOR VÍDEO FEITO COM ESSA CANÇÃO, E NA VOZ MARAVILHOSA DE MICHAEL BUBLÉ!


Minha poesia:

AMORES PROIBIDOS

Ele a esperava ansioso.
Numa noite chuvosa de outono.
Não sabia se viria...
Amores proibidos são assim:
Falta a certeza.

Seguem a aventura pelo instinto.
E a cada novo reencontro, uma esperança renasce.
Olhos vorazes percorrem o corpo um do outro.
Sede e fome de amar.

Instantes que poderiam ser eternos,
Não fosse a situação.
Fica a pergunta no ar:
Amor proibido... seria vão?

Fátima Abreu Fatuquinha

quarta-feira, 16 de maio de 2018

MÊS DE MAIO- DINÂMICA: FUI/SOU UM FILHO(A) ASSIM...

MAIO
MÃE
MIMO
MARIA
MEIGUICE
MOMENTO
MARAVILHA



Dinâmica:














Lílian Furtado:




Como eu me senti como filha em relação a minha mãe.

Bem, perdi a minha mãe com quase 16 anos em 1993, portanto, já faz 25 anos que não convivo com a figura materna.
Eu e minha mãe eramos próximas e distantes ao mesmo tempo, por causa da doença dela que fazia ela fugir de muito contato e proximidade.
Ela além da esclerose múltipla, sofria de transtorno obsessivo compulsivo (ainda que à época nós não tivéssemos um diagnóstico conclusivo).


Como eu era e me sentia como filha? Eu era bem obediente e retraída; Porque não conseguia entrar no mundo particular da minha mãe, para compreendê-la melhor.
Ela não se abria muito e nem eu.
Senti falta do exercício do papel de mãe na minha vida, que ela não pode desempenhar.
Estou ciente de que dentro das limitações dela, ela fez o que pode por mim; Porque nada era da sua vontade, nem da minha, que tudo fosse como foi.
Mãe: a vida ficou nos devendo, mas, não cabe a mim julgar o que aconteceu.
Acredito que lá na frente, um dia entenderei o porquê de tudo ter sido dessa forma; Pois, tive que aprender a conhecer e entender a minha mãe, nas entrelinhas da nossa existência.
Existimos uma para a outra, mas, não pudemos desfrutar uma verdadeira relação de mãe e filha.
Essa foi a minha história com ela.




Cida Nuno:


Como fui filha?
Hummm, só minha mãe poderia dizer....😃😃😃😃😃😃😃
Cida Nuno, a filha, com toda certeza, foi a experiência mais louca que ela teve de como ser mãe de um ser inquieto, voltagem 220, "viajante do tempo" mas, acima de tudo, muito filha dela.
A Essência de Cida Nuno, sempre foi do bem. Dos valores e atitudes que absorvi.
Era um Mix da explosão, com a retidão de caráter adquiridos por minha mãe.
Era a filha do Eu Te Amo a qualquer hora, do companheirismo, apesar da inquietação....😃😃😃😃😃😃😃😃

 * Olhando com um olhar de filha, tenho a certeza que ela repetiria a experiência, por mais louca que ela tenha sido....😃😃😃😃😃


Em 1998, ela encerrou por aqui sua missão como mãe e transformou-se em Luz.
Foi chegada a hora de Evoluir. Bom, ela esqueceu de me ensinar como era viver sem ela.
Tive que aprender sozinha. Confesso que foi e é uma experiência complicada, dura.
Lógico, os anos passam, vem o amadurecimento e a compreensão,  aceitação.
Em minha ótica particular, acredito na Imortalidade do Espírito e em um futuro reencontro.
A ausência física, não significa a falta de conexão, o fim do laço 🎀 de amor.
Isso é Intocável!
Jamais saberei como teria sido se  eu não tivesse a mãe que tive.
Mas, tenho a certeza de que Cida Nuno é o  ser humano que é, por causa dela.
Enfim, fui aprovada como filha! 😊😊😊😊😊😊😊😊😋
Uma Homenagem a Minha Mãe:

Virgínia Rosa - A Flor

A flor de que era feito o nosso amor
Molho-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Não se quebrou

Oh! flor
Se lhe maltrataram só por mal
Torna-se um translúcido cristal
Se lhe vem com crueldades
Exalta teu perfume pra toda cidade

Oh! flor
Nascida de um peito sem graça e sem jeito
Sem nenhum espinho
Somente carinho e amor

Oh! flor
A flor de que era feito nosso amor
Molhou-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim
Não se quebrou

Oh! flor
Mesmo em pleno mar de imensa dor
Queime tua chama com fervor
Se a morte a levar na correnteza
Brilhará no céu mais uma nova Estrela
Flor

Mesmo se os anos passarem ciganos
mesmo que os homens esqueçam tua cor
A flor de que era feito o nosso amor
Molhou-se com a chuva
Gelou de tanto frio e mesmo assim...
Desabrochou!

                                                   https://youtu.be/U18fjh_FA6A



Ângela Nuno:




DINÂMICA: A FILHA QUE FUI...

Antes de abordar o tema da Dinâmica,  impossível não falar como foi minha mãe ou na verdade, como ela é, pois, se ela  vive  em meu 💖, não foi a lugar algum.

Minha Mãe foi Gigante, Imensa, não por ter sido minha mãe, mas antes disso, ela foi um ser humano Extraordinário! Compreendi o significado do Amor com ela.
Aprendi, o valor do perdão, da humildade, generosidade, afeto, simplicidade, da gratidão, com ela. Descobri com minha mãe, a força da fé e do Amor a Deus.
Ela, viveu aqui uma experiência humana, sendo, verdadeiramente, Humana.
Por isso, posso dizer e afirmar, não como autopromoção, mas, quando olho minha trajetória como filha, orgulho-me da filha que fui, e do ser humano que procuro ser.
Jamais serei como ela foi, mas, sinto que em sua jornada por aqui, ela também levou o melhor de Angela como filha.
Vivi uma Experiência Fantástica com essa troca de afeto e aprendizado.
 🌻🌻🌻🌻🌻🌻🌻

A MINHA MELHOR PARTE...

É parte que não parte,
Que está além do tempo,
Do sentido do amor.

A MINHA MELHOR PARTE...

É parte da essência,
Dos valores adquiridos,
De tudo aquilo que sou.

 A MINHA MELHOR PARTE...

É parte da Luz,
Do caminho a seguir,
Da estrela 🌟 no céu,
Da ligação com Deus.

A MINHA MELHOR PARTE...

Está além do que sou,
Está além do amor,
Está além da flor, 🌻
Está além de tudo,
É a melhor parte,
É  minha mãe! ❤🌻


A MINHA MELHOR PARTE...



Regina Gesteira:

O que posso falar de mim em relação a minha mãe? É que sempre fui uma boa filha, obediente, companheira e sempre estive presente na vida dela.
Minha mãe nunca foi de abraçar e beijar as filhas, a forma dela de dar amor, era não deixar faltar o essencial.
Ela só passou a perceber a diferença ao ver meu relacionamento com a minha filha.
No início, ela achava exagero tantos carinhos trocados, mas depois se acostumou, e eu, que adoro dar carinho, à trato do mesmo jeito que trato minha filha, abraço, beijo, elogio...
Nos tornamos confidentes rs.
Acho muito bacana porque demonstra a confiança dela em mim.
Hoje, entendo e respeito a dificuldade que ela teve em lidar com o sentimento de amor e carinho.
Ela perdeu a mãe muito cedo (quando tinha 9 anos), foi morar com a madrasta, que não deu a ela amor materno, aquele amor que acalenta, protege e dá o abrigo que um filho precisa.












Eu, Fátima Abreu:


Fui desejada como filha, a primeira dos 3 rebentos de minha mãezinha Abigail.
Recebi amor, atenção. Principalmente, por ter sido uma criança que vez por outra, surgia um problema de saúde, mais sério...
Ela estava ali do meu lado sempre.
Me deu uma educação voltada para os moldes tradicionais da família. E com atributos de caráter e compaixão pelo próximo.

Eu, como filha: Retribuí tudo que recebi nesses anos.
Ela mesma diz aos conhecidos, que sempre fui boa filha.
Pena, morarmos longe atualmente, e só nos virmos umas 3 vezes no ano, e também Natal.
Entretanto, telefonemas e as chamadas de vídeo pelo whatsapp, dão um jeitinho nisso...
Agradeço à Deus que ainda tenho minha mãezinha por aqui!
Ela é uma alma boa e solidária. Tem um jeitinho meigo de conquistar as pessoas... ;)


A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, área interna e comida

Minha Mãezinha Abigail

Graças à Deus a tenho ainda aqui!
Eu e meus irmãos temos essa sorte.
Recebemos do Alto um anjo na Terra!
Que vive em função do Amor e de amar...
E para os dias vindouros, esperamos sempre poder com a senhora estar!
Te amamos e sabe disso.
Bem, somos tão parecidas em tantas coisas...
E tão diferentes em outras!
Isso nos faz apreciar o que cada uma difere.
Passe esse e outros dias, com saúde, paz e alegria.
Da filha que te ama:

Fátima Fatuquinha Abreu








 

domingo, 13 de maio de 2018

Para Minha Mãezinha

Minha mãezinha Abigail
Graças à Deus a tenho ainda aqui!
Eu e meus irmãos temos essa sorte.
Recebemos do Alto um anjo na Terra!
Que vive em função do Amor e de amar...
E para os dias vindouros, esperamos sempre poder com a senhora estar!
Te amamos e sabe disso.

Bem, somos tão parecidas em tantas coisas...
E tão diferentes em outras!
Isso nos faz apreciar o que cada uma difere.
Passe esse e outros dias, com saúde, paz e alegria.
Da filha que te ama:
Fátima
Fatuquinha




sábado, 12 de maio de 2018

Duetanto com Cartola



DUETANDO COM O MESTRE CARTOLA
Preciso Me Encontrar
Cartola
Compositores: Antonio Candeia Filho
*Letra de Preciso Me Encontrar © Universal Music Publishing Group



* Minha versão preferida no vídeo acima, retirada da série da Netflix: 3%


Letra:

Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Sorrir pra não chorar
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por aí a procurar
Rir pra não chorar
Se alguém por mim perguntar
Diga que eu só vou voltar
Depois que me encontrar
Quero assistir ao sol nascer
Ver as águas dos rios correr
Ouvir os pássaros cantar
Eu quero nascer
Quero viver
Deixe-me ir
Preciso andar
Vou por…

********

Vou por aí, preciso andar,
seguir em frente a procurar
Uma alma que me ouça,
E que saiba não perguntar
Seja hábil,
Para meu Universo, não vasculhar
Que saiba tanto quanto eu, rir para não chorar...
Preciso ir, não me detenha,
Essa é a vida, buscar o meu lugar
para rir, em vez de chorar...
Quem por mim guardar algum 
querer, 
Pode então dizer:
Ela seguiu e foi cantar, escrever, dançar,
E rir para não chorar...

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Poesia sobre meu novo livro: Puros Sentimentos


Puros Sentimentos

 

Esses que movem as pessoas de coração romântico!

Esses que viajam nos sonhos...

Puros sentimentos, aqueles que todos deviam ter!

E o mundo seria cor de rosa, com certeza.

Puros sentimentos.

Água com açúcar, para se ter dias mais serenos.

Os meus puros sentimentos são voltados para você.
 
Fátima Abreu Fatuquinha
 

 
Um quadro na parede, e um momento eternizado...
Aqueles Puros Sentimentos, ali guardados.
Coisas assim, que ficam além das pessoas.
E registram toda uma linda história de amor.

Fátima Abreu Fatuquinha




terça-feira, 8 de maio de 2018

Puros Sentimentos- Meu novo LIVRO de romance contemporâneo

https://www.clubedeautores.com.br/book/254790--Puros_Sentimentos#.Wuugqyav7cd

Meu mais novo livro de romance.
Para quem gosta de ler coisas leves, esse livro é como uma pluma.

Sinopse

Essa obra é fictícia.
Dois jovens adultos de 19 para 20 anos se conhecem no meio universitário: Lucas e Rosa.
Ambos muito responsáveis, mesmo sendo de pouca de idade, trabalhando e estudando à noite. Cada um com seus planos para um futuro próspero...
Paralelamente, a história de mais dois membros de cada família, (Renato e Márcia), se entremeia com a dos jovens adultos.

Categorias: Relacionamento Conjugal, Literatura Nacional, Ficção e Romance
Palavras-chave: família, paixão, romance, sentimentos

 
 
TRECHO DO LIVRO  Puros Sentimentos:

 O Envolvimento ...
Aquela noite de inverno estava bem fria mesmo.
Ele gostava.
O Centro Oeste possuía um clima seco a tal ponto, que se viam pessoas tendo hemorragia nasal, quando era verão.
Agora estava frio. Talvez fosse pelos ventos vindos do sul do país, que a temperatura tivesse caído daquela maneira...
Os seus pais mudaram para Brasília pelo trabalho.
Rodrigo pai de Lucas, casara-se novamente, e sua esposa Soraia, apesar do clima seco no verão, gostava do Planalto Central.

Seu nome era Lucas, e tinha um rosto alongado, que lembrava Robert Pattinson, o ator.
Cerca de 1,83m de estatura, moreno claro, de cabelos castanhos e crespos, e tinha uma meia irmã: Ana Maria.
Filha de seu pai com Soraia. Esta ainda adolescente tinha seus 14 anos, e era bem bonita.
Soraia tinha um irmão que morava no Rio de Janeiro, o que lhe trazia muitas saudades, já que ele sempre cuidara muito dela, sendo mais velho.
Viam-se vez por outra, geralmente em dias comemorativos, feriadões e fim de ano.
Claro, a distância não favorecia em nada...

********

Lucas saía da Faculdade apressado, queria chegar logo em casa, tomar banho e jantar. Foi quando olhou para os lados, atravessando o pátio, e viu Rosa, através das amplas janelas da cantina.
Reparou que ela estava lendo um livro e tomando um chocolate quente, para se aquecer daquela noite fria.
Era uma morena de cabelos lisos e castanhos, que batiam nos ombros, estatura mediana, por volta de 1,65 m. Tinha um rosto um tanto arredondado. Não era feia, nem era uma beldade.

Dias antes, ele havia notado a moça no Campus.
Ela não fazia o mesmo curso.
Entretanto, logo que a viu, sentiu simpatia por ela.
Rosa veio de Poços de Caldas, para Brasília, onde iria estudar e trabalhar.
Única filha mulher da família, ela tinha mais quatro irmãos. E como seu fardo seria grande, caso ficasse por lá, resolveu mudar para o Distrito Federal.
Sim, porque se ficasse, teria que ajudar a mãe nas tarefas diárias: Limpar a casa, lavar, passar e cozinhar para todos...
Ela então resolveu ir para longe.
Pois, não era isso que queria para si. Firmara bem seus objetivos na vida: Crescer na carreira escolhida, e financeiramente ter uma vida estável.

Lucas desviou seu caminho, para falar com a moça um pouquinho.
Afinal, eram jovens adultos de 19/20 anos, que tinham interesses parecidos e frequentavam o mesmo ambiente universitário.
Ambos muito responsáveis, mesmo sendo de pouca de idade, trabalhando e estudando à noite.
Cada um com seus planos para um futuro próspero.
Lucas adentrou a cantina, chegando perto dela. Então, sentou-se e foi puxando conversa, como quem não queria nada:
- Oi, te vi lá de fora. Resolvi entrar para conversar... Podemos?

Ela o olhou de cima a baixo, para ter ideia se não era um daqueles “rapazes delinquentes” que andavam pelo Campus da universidade, e em questão de segundos (depois da análise), respondeu:

- Sim, já que está aqui...
- O que você está estudando? Eu faço Engenharia Florestal. Ah, antes que me pergunte:
Meu nome é Lucas. E o seu?

Rosa olhou bem dentro daqueles olhos castanhos, parecendo adivinhar qual seria o próximo passo do rapaz... Respondeu apertando a mão oferecida por Lucas:
- Sou Rosa. E estou fazendo Ciência da Computação.
- Pelo sotaque percebo que é mineira.
- Bem observador... Sim, de Poços de Caldas, conhece?
- De nome, claro! Cidade turística de Minas, com bons queijos e doces.
- Isso mesmo. E você é daqui de Brasília?
- Não, nasci no Rio, carioca. Mas, a família veio morar em Brasília, então, aqui estou. Meu pai veio a trabalho já um bom tempo.
- Ah, sim...
- E você, a família também está aqui?
- Não. Somente eu. Amo minha família, mas, escolhi minha própria vida. Novos horizontes...
Com o que você trabalha?
(...) continua no livro


 ESSA SEMANA COM DESCONTO NO LIVRO IMPRESSO.
APROVEITE E PRESENTEIE SUA MÃE, AVÓ, COM MEU LIVRO DE ROMANCE LIGHT...
Ver mais — com Fátima Fatuquinha Abreu em Maricá.
 
 
 
 
 
 
 

Dinâmica: Respeitar e Gostar da Holanda, Tanto Quanto da Itália...



Respeito. Começa assim a aceitação do outro.
A Holanda pode não ser o seu país idealizado, porém, pode ser tão linda quanto a Itália!
Basta achar suas belezas com os olhos além da visão.
São olhares do coração!
A Holanda pode parecer até desbravadora!
Um aventura maior que a Itália sonhada...
E dessa forma, testar suas habilidades de exploração de terras antes não conhecidas.
Será uma atividade maior do que esperava entretanto, também gratificante...
São caminhos que Deus nos coloca na frente, e que se soubermos trilhar bem, teremos uma bela vista quando chegarmos ao fim.
Coisas que podemos dizer:
Mesmo não sendo a Itália, cheguei de qualquer  jeito assim.

Eu, Fátima Abreu Fatuquinha


A dinâmica:

Na minha poesia, já pude expressar o que penso.
É um teste desbravador...
 
MAS, QUE RECEBE QUEM PRECISA PASSAR POR ELE (POR ALGUM MOTIVO), E TEM CAPACIDADE DE ENXERGAR ISSO, COMO UMA BELA MISSÃO A SER CUMPRIDA!
 
E pode ser de uma beleza ímpar!
 
TEM QUE SE ABRIR O CORAÇÃO.
 
Estar pronto para seguir em frente.
Não será fácil, mas, o que no mundo é?
Nem tudo sai como se planeja, nessa vida.
 
TEMOS QUE APRENDER A DAR A VOLTA PELO RIO, SE NÃO DER PARA ATRAVESSÁ-LO.   
(O CAMINHO SÓ VAI TER MAIS DIFICULDADE, ENTRETANTO, PODE SER MUITO BONITO)
 
 


********


Delonir Cavalheiro (Grupos IP e da LUZ):


O vídeo descritivo fala sobre uma viagem fantástica. Sobre destinos, idas e chegadas.
Fala na verdade sobre a grande viagem que é a maternidade, sobre as projeções, esperanças e sonhos.
O vídeo também fala das mudanças bruscas de destino, quando se aporta em outro porto que não o esperado.
Ser mãe é sonhar em ter um filho perfeito, é sonhar em vê-lo numa posição de destaque no cenário mundial.
Mas aí vem o destino e muda tudo: Em vez de uma criança perfeita, nasce um ser que transborda amor, uma criança com síndrome de Down.
Ora mãe, sua criança é perfeita! Tem todos os predicativos para ser um adulto que a orgulhe.
Esteja pronta mãe, para ser muito beijada, muito abraçada, para dar muita risada e ouvir muitos "eu te amo".
Tá, não é o que esperava, mas, ganhou uma criaturinha que transborda amor, e que demonstrará todos os dias enquanto estiverem juntos.
Então, como diz o vídeo, bem vinda à Holanda.
Desfrute dessa viagem. Ela será maravilhosa! 

Agradecendo:
Vicky Staudtt Ranow,
A mãe, e
Laura Staudtt,
A filha.


********

 Lílian Furtado- Grupo IP:


Dinâmica sobre a "Holanda"

Permita-me iniciar dizendo que o vídeo me surpreendeu de forma emocionante, pois, faz uma analogia entre duas situações usando o nome de dois países: Itália e Holanda.
Sendo que a Itália seria o país dos sonhos, como a chegada de um bebê na vida de um casal. Enquanto que a Holanda, seria o país desconhecido tal qual, a chegada de um bebê com necessidades especiais.
Às vezes, traçamos planos e sonhamos em realizar desejos em nossa vida, como por exemplo, a maternidade; Porém, a chegada de uma criança "diferente" daquela que planejamos, nos faz repensar e replanejar a nossa vida, de modo a acomodar as necessidades de uma criança especial. 
 
Entendo que o texto quer dizer, dessa forma: Podemos sim, nos sentir felizes e realizados com essas crianças, cujo próprio nome diz, são ESPECIAIS.
E que, para tanto, merecem pais também especiais, no sentido mais amplo da palavra.
Porque a vida não é uma estrada reta e previsível, mas, cheia de curvas e possibilidades.
Saibamos aproveitar cada uma dessas curvas, ainda que não consigamos atingir os nossos objetivos ou realizar os nossos sonhos, pelos caminhos que escolhemos.
Porque a vida sempre pode nos surpreender.
Acrescento sem analogia,  apenas para finalizar, que a Holanda me parece bem mais bela que a Itália.
 
 
********
 
 
 JDavi Miguez (convidado):
 
 
A vida mesmo com todo o planejamento que se possa fazer, nunca será efetivamente como queremos, mas, nós temos de estar aptos, para aceitar essas reviravoltas que aparecem em nosso caminho.
Foi para isso que Deus nos deu a capacidade de pensar.
Não importa se o filho é uma criança sadia ou se tem algum tipo de deficiência, ele é nosso filho e temos que cuidar dele.
Se não temos conhecimento, temos que buscar esse conhecimento para melhor atender as suas necessidades.
 
 





sábado, 5 de maio de 2018

SENTIMOS: ESTAMOS VIVOS!






Sentimos: Estamos Vivos!

Quem nada sente, está morto em vida.
E no sentir, temos conflitos...
Há de se ter conhecimento de si e deixar o resto fluir...
Não se anule, tampouco abuse de algo.
O exagero gera destempero!
Nunca deixe de ser quem é, por ninguém!
Ainda que outros não te entendam.
A sua verdade só o seu íntimo sabe.
Os que estão de fora tem as deles...
Assim o mundo caminha:
A sua verdade, pode não ser a minha.
Diga não ao egoísmo, e sim, ao amor próprio.
Diga não às brigas, e sim, à conversa franca.
Diga não ao falar alto, e sim, em tom suave, entretanto, firme.
Diga sim ao Amor Incondicional e não para simples trocas que não te acrescentam em nada.



quarta-feira, 2 de maio de 2018

Fazer o Bem Sem Olhar a Quem- Dinâmica

Mais um vídeo enviado pelo nosso amigo de grupo, Delonir Cavalheiro que serviu para nossa dinâmica.
"Fazer o Bem, sem olhar a quem", é o tema.
Ou simplesmente manter a corrente do Bem.

Participo disto, faz anos, e você?
E não digo isso para reconhecimento: Pois para mim, AMOR TEM QUE SER INCONDICIONAL, e sim, para que muitos repensem seus conceitos, e tomem iniciativas também...
Toda boa ideia deve ser compartilhada. E um incentivo é sempre bom!

A corrente do Bem, consiste em dar continuidade a um favor recebido. E quando a pessoa (achando que vai), te agradecer, diga então:
"Passe para frente o Bem recebido. Faça por outras pessoas o que fiz agora."
E dessa forma, o Bem vai sendo espalhado por todo planeta...

FAÇAMOS ISSO ENTÃO!





Vou republicar um conto aqui, para ilustrar essa nossa dinâmica, em que mostra a ideia da Corrente do Bem:
Francisco de Toda Parte

A  jovem era uma rebelde sem causa, acabara de sair da adolescência, fase difícil, quando os hormônios mandam mais no corpo do que a razão...

Caminhava pela estrada encolhida pelo frio e chuva. Não tinha ideia aonde estava naquele momento, tinha sido deixada ali, após um sequestro relâmpago no estacionamento do shopping center.
Horas antes havia se divertido muito com a sua turma do primeiro semestre da faculdade.
Resolveu pegar a moto e ir embora antes que a cerveja a deixasse sem controle da visão ou do equilíbrio...
Despediu-se então da turma e seguia para o estacionamento, quando alguém a abordou pelas costas, e ela conseguiu sentir a lâmina roçando em sua carne...
Ele sussurrou baixinho ao ouvido:
- Quietinha garota! Agora sobe normalmente e vamos embora...
Ela obedeceu sem tentar olhar o rosto do seu agressor.

Virou a chave e ele subiu em seguida, segurando a jovem pela cintura. Ele ainda com a faca ameaçadora apontando para suas costas, por baixo da jaqueta.

Saíram dali sem chamar atenção. Pareciam apenas namorados.

Já em certa altura, ele pediu que ela lhe desse a bolsa para ver se tinha cartão de banco ou dinheiro.
Encontrou apenas dinheiro e um celular de última geração que deveria lhe render um bom dinheiro...
Então ele pegou o que realmente interessava, e enfiou no bolso da calça jeans surrada, e rasgada na altura do joelhos.
Depois disso, pediu que ela parasse e descesse ali, no acostamento da estrada que levava à Vargem Grande.
Ela obedeceu sem abrir a boca para reclamar: Naquele momento,  a rebeldia foi calada...
O delinquente então, tomou seu lugar na moto, e virou-se para a jovem dizendo:
 - Bonitinha como é, logo tem gente te dando carona.
Ela segurou um palavrão, que chegou a vir na ponta da língua... Mas, as poucas aulas de psicologia que recebera, ajudaram naquele momento.

A boca que muitas vezes respondia seus pais em casa, fechou-se num mudo nervosismo...
Ele saiu rindo da cara dela.
A moça "bonitinha" não achava que ali, aquela hora da noite, numa estrada escura, tivesse a chance de alguém socorrê-la...

Colocou a mão na jaqueta, ainda com um impulso involuntário de pegar o celular para ligar para seus pais... Sempre o levava rente ao corpo, por que dessa vez, teve que colocá-lo na bolsa?
Balançou  a cabeça achando-se uma tola, com tal pensamento: Seria óbvio que ele acharia o celular de um jeito ou de outro... Nem que tivesse que apalpá-la para isso.

Seguia de cabeça baixa, olhando o chão molhado, e sem muita esperança de algum carro passar por aquele atalho... 
Era uma estrada pouco usada, só conhecida pelos moradores do local.

Foi assim desanimada, e sem prestar atenção em nada além da imensidão que aparecia em sua frente, que uma pickup apareceu com faróis altos. Ela então saiu daquele quase "transe" em que estava, para bloquear o desespero e a vontade de chorar...

Um homem dos seus 40 anos aproximadamente, parou com o carro e falou abrindo o vidro:
- Menina, o que te aconteceu para estar aqui só, pegando essa chuva, nessa estrada quase sem iluminação?

Ela olhou já com uma lágrima descendo pelo rosto, e respondeu:
- Acabei de passar por um desses "sequestros relâmpagos"... Pode me dar uma carona para sair daqui?
- Venha, entre logo, antes que pegue uma pneumonia! Deixo você em casa ou numa delegacia?
- Em minha casa, tudo que eu quero agora, é um banho morno e minha cama... Pela manhã dou queixa.

 O homem nada disse, e apenas destrancou  a porta para que ela entrasse e a levou para casa. 
Seguia um itinerário que não era o seu realmente, só para poder ajudar aquela jovem: Pensava que poderia ser uma filha, sobrinha, que pudesse estar nessa situação, e agradeceria à Deus ,se alguém tivesse a mesma atitude...
Ao deparar com a porta do edifício onde morava, ela desceu do carro, e disse virando-se para o homem:

- Eu estava tão preocupada comigo mesma, que não perguntei o seu nome...
- Meu nome é Francisco. E o seu?
- Meu nome é Madalena, mas me chamam apenas de Lena... Obrigada pela carona, do fundo do coração! Como posso ajudá-lo, retribuir esse grande favor? Talvez  uma ajuda...
- Não quero nada, Lena, fiz porque se fosse alguém da minha família, na mesma situação, iria agradecer muito se ajudassem da mesma forma. Mas, você pode retribuir um favor a outra pessoa, isso se chama "CORRENTE DO BEM". Já ouviu falar?
- Não, só em filme...
- Então, ponha em prática na vida real a partir de agora, e em breve essa corrente pode chegar até o outro lado do mundo!
- Sim, farei isso! Obrigada mais uma vez... Chico.

Ele sorriu, percebendo que ali começava uma nova perspectiva de vida... Apertou a mão da moça, e disse:
- Diga ao seu pai para lembrar do dia quatro de outubro.

A jovem estranhou, mas, fez que sim com a cabeça. 
"Ah, deveria ser porque hoje era esse dia, e ele teria de lembrar..."
Quando Lena fechou a portaria do prédio, deu mais uma olhada pelo vidro, e não viu mais a pickup.
Chico deveria estar com muita pressa mesmo... Afinal, tinha saído do seu caminho para levá-la até ali.

Ao entrar em casa, ela relatou tudo aos pais. E por último, deu o recado que Chico havia pedido...
O pai imediatamente ficou aturdido. Lena e a mãe notaram a mudança de expressão no rosto do homem.

A mãe dela, então perguntou:
- Mas, o que foi homem?
- Foi exatamente há um ano, que passei por essa mesma estrada, e atropelei um cãozinho que atravessava... Nunca contei por esquecimento talvez, sei lá...  Fato que não me importei, e segui sem parar para ver se ele ainda vivia...

 Lena então disse ao pai:
- Eu estranhei tudo isso... Mas, vou fazer o que ele me pediu, retribuir um favor a outra pessoa.

 A mãe disse:
 - Faz muito bem, minha filha.

Foram todos deitar, entretanto, Lena mesmo depois do banho morno e relaxante de banheira, e estando em sua cama, não conseguia dormir...
Foi até a janela olhar a rua, e do alto do quinto andar, viu uma figura vestida como um monge. 
Ele tirou o capuz sobre a cabeça, e acenou exatamente para a janela, como se soubesse que ela estava ali...

Não conseguia identificar quem era, mas, de uma coisa sabia: 
Teria que seguir os sinais.
A Corrente do Bem recomeçava...


Fátima Abreu Fatuquinha






                                                              ********


Fátima Abreu Fatuquinha (Grupos IP e da LUZ):

Sobre o vídeo: É a expressão máxima de amor ao próximo e preocupação com seu semelhante. A atitude tanto do homem a primeira vez como a da moça posteriormente mostram com certeza isso.
É fácil fazer o Bem para quem você conhece, difícil seguir com mesmo intuito de quem nada se sabe... Principalmente por ter como agravante, a época em que vivemos, onde mesmo com boa intenção, às vezes somos mal compreendidos...

Temos ainda assim que ter a ideia de ajudar e perseverar nisso. É necessário. Faz parte do nosso crescimento humano e evolução.
O Bem que se faz a outrem, é o mesmo Bem que nos voltará: 
É a Lei do Retorno que se faz presente.


                                                            ********


Ângela Nuno (Grupo da LUZ):

Dinâmica: Fazer o Bem Sem Olhar a Quem

[19:10, 1/5/2018] Ângela Nuno:


O vídeo aborda nāo apenas o bem como a gratidão. Parece fácil, mas o tema torna-se complexo por ser amplo. Praticar o bem vai além da caridade ao auxílio material. O acolhimento, também é uma prática do bem. Quantas vezes um aperto de mão, um abraço, significa tudo que alguém precisa, hein?
Tenho aprendido que o bem transmuta o ser humano para uma faixa vibracional elevada.
Quanto a mim, opto por manter no anonimato tudo que pratico como Corrente do Bem.


P.S.: O Conto de Fatuquinha, especificamente o final do mesmo, lembra-me um momento que vivi e o Bem que recebi de alguém que cruzou meu caminho  e eu nunca descobri de fato quem era essa pessoa...  Minha eterna Gratidão! 🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼🙏🏼
Boa noite, querida Fatuquinha! ⭐🌙



                                                          ********

Cida Nuno (Grupo da LUZ):


[14:29, 1/5/2018] Cida Nuno:

Pode parecer simples, mas a prática do Bem desinteressado, sem o nada em troca, é um grande aprendizado. 
 Ontem, li uma frase interessante: "Caridade não tem espaço para holofotes."
Também penso por aí, e por isso, procuro o silêncio para prática do bem.


"Porque a força de dentro é maior. Maior que todo mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso sim, acredito até o fim."
Caio Fernando Abreu




                                                          ********


Delonir Cavalheiro (Grupos IP e da LUZ):

Por vezes nos deparamos nas mais adversas situações...
E situações essas, que nos colocam na posição de ser o auxílio que outra pessoa necessite. Não vos furte de auxiliar! Afinal, quem presta auxílio ao seu semelhante, a si mesmo auxilia...
Então, auxilie a quem necessite, mas, o faça com amor no coração.
Que não saiba vossa mão esquerda, o bem que faça com a direita.
O mundo é grande, dá muitas voltas; Quem sabe se o auxílio prestado hoje, não venha a ser amanhã, vosso socorro num momento de precisão?
O Bem é uma corrente que se alimenta do Bem, que se pratica só próximo.

Breve virá o dia que a prática do Bem, será comum a todos os seres.
Lembrai:
"Plantai o Bem,e o Bem recebereis", essa é a Lei da Reciprocidade.

Deus vos abençoe.


                                                        ********


Lílian Furtado (Grupo IP):


Dinâmica sobre o tema: "Fazer o Bem sem olhar a quem"

Fazer o Bem sem olhar a quem, é algo que devia ser praticado em grande escala em nossos dias, especialmente num momento em que o ser humano anda cada vez mais individualista.
Fazer o Bem ao outro, sem interesse algum que não seja o bem-estar desse, é algo raro num mundo onde os bens materiais valem mais que as pessoas; E onde os ensinamentos de Jesus Cristo, parecem ter se perdido...
Quando Ele diz que devemos Amar ao próximo, como a si mesmo.

Todavia, ainda há quem se doe um pouquinho ao outro, mesmo que em um primeiro momento, não se perceba a recompensa...

Mas, que sempre vem, nem que seja a longo prazo e de uma maneira que dinheiro algum pode comprar!
Pois a recompensa está no bem- estar do outro, que de alguma forma repercute em nós.
Por isso, quanto mais Bem espalharmos, mais Bem retornará para nós.

Sigamos fazendo o Bem.













terça-feira, 1 de maio de 2018

O Jogo- CONTO

Imagem relacionada

O Jogo

A tempestade era vista pelo vidro da janela. Ela estava assustada.
Isso sempre acontecia, porque desenvolvera uma fobia aos temporais.
Ouviu passos no velho assoalho de madeira. Era ele.

O idoso caminhava pelo corredor, vindo da rua. Trazia sacolas de compras para seus pupilos.
Não era um orfanato ou abrigo público. Ali até aquele momento, só moravam adolescentes.
E a maioria eram desajustados da sociedade, mas, ela não.
Estava ali nem sabia o porquê...
Era tudo nublado em sua mente.
O que a levaria a estar entre eles? E por onde andava sua família?
Por que não se lembrava de quando chegou ali?

Tinha muitos questionamentos na cabeça.
O quarto em que estava, era dividido com mais 3 pessoas. Era um casarão antigo de paredes mal conservadas.
A jovem tremia. Sabia que atrás daquela aparência altruísta daquele senhor, existia algo de muito errado.
Ele passou pelo quarto e não olhou. Seguia para a cozinha, para guardar as compras.
Os rapazes começaram a abrir uma caixa esquecida entre as prateleiras do quarto.
Interessante que nunca a tinham visto ali.
Ela observava sem mostrar curiosidade.
Os jovens perceberam um papel de instruções para o jogo e abriram para olhar.
Dizia umas palavras esquisitas, quase sem nexo.
E no rodapé uma observação: Teriam que ler aquelas palavras em voz alta, ao mesmo tempo, todos aqueles que quisessem jogar.

Ela sentiu um arrepio, talvez tivesse medo, existiam tantos filmes por aí, sobre jogos sinistros.
Quando fizeram o que as instruções ditava, repentinamente surgiu um outro rapaz com uma máscara de palhaço.
Parecia ter se materializado do nada. Todos ali permaneciam parados e pasmos.
Ela se movimentou meio temerosa, e pediu que ele tirasse aquela máscara. Era um jovem mulato.
Ele realmente não colocaria medo em ninguém, não fosse o modo inesperado em que surgiu...

Era um Guardião. Estava ali para ajudar aqueles jovens a se libertarem da semi prisão, que não desconfiavam que estavam:
Eles podiam ir ao colégio, podiam dar até uma festinha ali de vez em quando, mas, nunca podiam sair sem a supervisão do idoso, dono da casa.

O Guardião não respondia às perguntas que lhe faziam. Falava de outras coisas, como se já fosse parte do grupo. Mas, era fato que ele teria que se explicar...
Sem rodeios, a jovem o interpelou:

- O que você veio fazer aqui?
- Estou e sempre estive aqui, vocês que não me viam...
- Como assim?
- Estava preso no jogo. Sou o Guardião.
- Isso não pode estar acontecendo...

Os outros ali, continuavam sem entender aquilo, e o que representava o Guardião do jogo em suas vidas.
Saíram do quarto a mando do recém chegado. Eles foram até a sala, e se espantaram mais uma vez, quando o rapaz trouxe uma menina de uns 4 para 5 anos (vinda sabe-se lá de onde), e apresentou-a aos internos da casa.

Ouviu-se a voz do idoso vinda da cozinha:
- O que vocês estão fazendo, meus pupilos, aí na sala?

A adolescente respondeu por todos:
- Nada senhor, apenas estamos jogando.
- Certo. Daqui a um pouco, comeremos. Estou preparando o lanche.

Depois disso, ao voltar a cabeça para o lado, notou a mudança de cenário:

Novamente uma nuvem em sua cabeça pairou...
Ela não sabia como daquele instante que respondeu ao homem, até aquele que estava no momento, tinha se passado a noite inteirinha!
Era como se fosse mágica!

Já era a manhã de sexta feira, e todos deveriam ir para o colégio.
A menininha ainda estava ali e dormia no sofá que ficava no quarto.
Certamente que aquela criança passou sem perceber pelo idoso, pois ali não ficavam nada além de adolescentes...

O Guardião  estava ali olhando todos se arrumando para sair depois que tomassem o café da manhã.
Passou pelo idoso e ele não o percebeu. Era como se fosse invisível aos seus olhos...
A menina da mesma forma, pois o rapaz havia lhe acordado, e a segurava pela mãozinha.

Todos queriam saber afinal, como seria o tal jogo, e como sairiam do controle do idoso.
E para onde iriam depois? Essas eram as incógnitas que seguiam em suas mentes...

Os jovens sabiam que o Guardião estava ali para ajudar, mas, como entender aquele jogo fantástico?
Quais os passos que deveriam dar?
Tinham receio, entretanto, sabiam que jogar seria o único meio de sair daquele local que moravam, sem nem saber o porque foram levados para lá...
Aprisionados talvez, em um Universo Paralelo, ou uma MATRIX.


A jovem que de um instante para o outro, estivera em dois tempos diferentes, acordava com o celular
vibrando ao seu lado, na cama:
Eram seis horas da manhã, e ela adulta que era (e não a adolescente do sonho), tinha que começar mais um dia de batalha...
Despertou dizendo:

"Eu saí do jogo, eu saí do jogo..."


OBS:
Esse é mais um daqueles sonhos de minha filha Catarina Abreu, que me inspiram a continuar fazendo um conto.












sexta-feira, 27 de abril de 2018

27/04 Nosso Dia

Fragmentos de Uma Poesia

... Eu te queria como parceiro (como você mesmo sugeriu).
Não estava nos meus planos, deixar a paixão entrar...
Porém, no coração ninguém manda:
É terreno em que tudo acontece.
E me vi completamente apaixonada!
Eu te disse, declarando o amor que sentia.
Não seria retribuída no mesmo grau, em tão pouco tempo.
Disso eu sabia.
Só o Tempo, senhor das mudanças, dirá!
Quem sabe um dia?
...

Fátima Abreu Fatuquinha


A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up

quarta-feira, 25 de abril de 2018

25/04: Dia do Amor






É com o bater de corações acelerados, que o dia do amor, é comemorado.
Eu que amo a você, e a um tanto de gente...
Amor para mim, tem que ser assim.
Independente da troca (o que seria até muito bom), mas, quem diz que todo amor tem que ser correspondido, não sabe o que é amar incondicionalmente.
AMAR é doação. Você não deveria fazer isso para ter o retorno.
A gente ama, simplesmente...

Fátima Abreu Fatuquinha

terça-feira, 24 de abril de 2018

DINÂMICA, COMENTE O VÍDEO: "QUEM EU QUERO SER"

 


O vídeo foi proposto pelo nosso colega de grupo, Delonir Cavalheiro.
Achei ótimo, por ser um homem a sugerir esse, que trata a perspectiva de vida de uma mulher.
Certo que cada um de nós terá uma ótica parecida ou totalmente diferente; Isso que faz nossas dinâmicas serem interessantes para o leitor.

As opiniões seguem cada uma com sua ótica; E acho incrível (no sentido de interessante, e aplaudo) como cada pessoa tem uma perspectiva distinta, do mesmo vídeo:
 
 
Eu, Fátima Abreu Fatuquinha- (Grupos da IP e da LUZ):
 
Concordo com a liberdade que ela quer experimentar.
Concordo com as suas vontades e anseios...
Concordo também com a pessoa que ela quer ser.
Apenas discordo, quando ela diz "dançar sozinha", (no sentido metafórico, de não precisar estar junto de um homem). Até porque, ela observa os casais...
 
Para mim (desculpem), quem diz que pode dançar sozinha: 
 
*São as que não precisam exatamente de um homem, tanto sexualmente, como no cotidiano. 
 Algumas se intitulam feministas.
 *Outro tipo: Que improvisam outras distrações na vida, inclusive se afundam no trabalho... Sendo essas mulheres extremamente independentes.
 
Entretanto, ainda acho que uma mulher que gosta de homem (seja independente, bem sucedida ou não), sempre vai querer a presença de um, na sua vida.
Bainha e espada se complementam desde que o mundo é mundo.
 
O ROMANCE, O AMOR ENTRE MULHERES E HOMENS, É A COISA MAIS LINDA QUE DEUS PÔS NO MUNDO, DEPOIS DOS BEBÊS!
E ESSES, NÃO NASCERIAM DE FORMA NATURAL*, SE NÃO FOSSE ASSIM...
 
Claro, independentemente de procriar a espécie, o Amor (de macho e fêmea) deve ser saboreado...
Sozinha não se faz isso.
Os abraços, beijos, aconchego, o dormir de conchinha, ah, isso, não tem preço!
 
 
Quanto a mim, chamem-me de antiquada, mas, é isso que quero: O aconchego do amor.
Dançar sozinha na vida, não quero, e nunca quis. Embora, também isso já fiz...
Porque me virar sozinha, me virei muitas vezes!
 
 
* Marcado porque as exceções existem: Há tempos que se faz inseminação artificial em todo globo...
 
 
 

Eu Queria...
 
 
Que a fantasia vestisse a alma
Que as nuvens fossem de algodão
Eram coisas imaginadas pela criança dentro de mim
Que clama loucamente, conseguir ser ela mesma, simplesmente...
 
Ah, a Liberdade!
E tudo no que isso implica...
Ser finalmente a dona das minhas vontades!
 
Saber dizer o não.
E não sentir culpa por isso!
Ser compreendida, ao invés de só tentar compreender...
E muito mais a dizer.
 
Sei perdoar e ajudar também.
Sei ser a senhora dos meus objetivos.
Só não sei viver sem amar.
Preciso disso.
Então, dançar sozinha, em nenhum sentido me satisfaz.
Embora saiba me arrumar, ser independente.
Ter alguém que me cuide, dê atenção, é o que quero somente.
 
 Fátima Abreu Fatuquinha
QUEM EU QUERO SER
 
 
Quero ser o abrigo de um abraço a quem sente frio.
Quero ser o primeiro nome que vem à cabeça, quando precisar de ombro amigo.
Quero ser a pessoa que vai dizer o que você precisa saber.
Quero ser sim, mas, sem pretensões de professora ou psicóloga.
Quero ser a amiga para toda hora.
 
Quero hoje, ser melhor que ontem.
E no momento seguinte, continuar evoluindo.
Quero fazer parte de um jardim de amizades verdadeiras.
Quero tudo isso, porque o resto, é pura besteira...
Quero ser paz, amor...
Quero ser flor.
 
FÁTIMA ABREU FATUQUINHA
 
 

 
 
                                                                        ********
 
 
 
Delonir Cavalheiro- (Grupos da IP e da LUZ):
 
Crescer
 
Eu ainda estou aprendendo
Ainda frequento a escola da vida, carrego a bagagem de muitas vidas, muitas outras escolas, e ainda estou aprendendo.
 
Necessito aprender ainda:
A perdoar mais.
A relevar as injúrias,
Ser paciente
Diante das injustiças.

Necessito ainda:
Ser mais tolerante.
Deixar de lado o imediatismo.
Ser mais paciente.

Necessito ainda:
Distribuir mais amor.
Pois bem sei
Amando, serei amado...
Ainda estou aprendendo
A ser feliz e amar.
 
A vida ainda vai nos colocar
Diante das mais diversas situações, nessa hora cabe o discernimento, escolhendo aquilo que é melhor para nós.
 
Não nos acovardamos
Diante das lutas e dificuldades!
Munidos de força e coragem,
Venceremos!
 
Crescer é isso.
Lutar é vencer todos os dias,
E se por ventura cansares
Dá luta, lembra:
Amanhã é novo dia...
 
Delonir Cavalheiro
Canoas/RS
 
 
 
                                                                   ********
 
 
Nandinha - Maria Fernanda Freitas- (Grupos da IP e da LUZ):
 
Dinâmica Apaixonante!

Vídeo perfeito ... 
Mas, eu sempre soube o que eu queria, sempre tive respostas, embora sempre tivesse novas perguntas a cada amanhecer.
Aprendi a dançar sozinha por opção, gosto da maneira como me organizo.
Ainda hoje, alguém me falou que eu não sou normal, que vivo de planilhas e tal...
 
Para mim, seria mais um vídeo normal de motivação, não fosse por uma pequenina palavra de alto peso: "Quero ser alguém disposta a perdoar" !
Poxa! Eu também quero, e quero muito!
Mas, ninguém nos ensinou de fato como se perdoa, como se livra dos pensamentos, ou como estar em Paz!
Creio que todos nós estamos dispostos a perdoar, mas, não aprendemos na prática como  alcançaremos o nível máximo de conhecimento do Abençoado Amor!
 
 
                                                                 ********
 
Ângela Nuno (Grupo da LUZ):
 
"Quem eu quero ser."
Boa pergunta e um bom questionamento.
Baseado no vídeo, abro links para o quanto já evoluí e quanto descobri o melhor que posso ser. Mas, muitas respostas, ainda não chegaram.  Estão no processo evolutivo.
Em meu Happy End, também tenho plena convicção que posso ser feliz dançando sozinha.
1:38 que mexe com o emocional e o labirinto interior do ser humano.
Dancemos!
 
 
 
 
 
                                                                 ********
 
 
 Cida Nuno ( Grupo da LUZ):
 
 
DINÂMICA: QUEM EU QUERO SER
 
Interessante, uma pergunta que constante faço.
Nessa Viagem chamada Vida, quando olho para trás, percebo o quanto mudei, cresci, amadureci e  muitas perguntinhas que ficavam "martelando" na cabeça, já não fazem mais nenhum sentido.
 
Enxergo a vida em ciclos e tenho a certeza que meu estágio de aprendizado por aqui, não está sendo em vão. Vem o aprendizado do amar-se e ser o centro da sua própria vida.
Sei lá, talvez muitos não saibam ou não percebam, mas, somos capazes de dançar sozinhos e isso é muito bom. Vídeo curtinho mas, com uma boa chacoalhada sobre o Eu e a Vida. Vou por aí...
 
 
                                                               ********
 
 
Regina Gesteira (Grupo da LUZ):
 
 
 As pessoas levam a vida pensando muito no que querem ser profissionalmente, se prendem ao "status" e se esquecem do mais importante, que é pensar em si como pessoa.
A profissão é importante para trazer, de certa forma, benefício próprio e para a família, mas, a sua realização profissional não garante em nada, a sua felicidade.

Muitas pessoas se formam, mas, não são felizes naquilo que fazem. De repente,vê que não estão te dando nenhum prazer.
Aí chega uma hora que você para, e começa a se perguntar: O que de fato você quer pra você como ser humano? O que vai te dar bem estar, felicidade?
A sua realização não está no outro, ninguém pode te fazer feliz se você não estiver bem consigo mesmo.
O que falta para você se sentir pleno?
 
 
 
 
 
 
 


Lílian Furtado ( Grupo IP):


Dinâmica sobre o vídeo: Quem eu quero ser.
O vídeo mostra uma garota falando sobre a pessoa que ela quer ser, e a mim, fez refletir sobre a pessoa que eu pensava/ queria me tornar.
Tal como a garota do vídeo, penso que não precisamos de ninguém além de nós mesmos para sermos felizes.
E é claro, que essa felicidade depende e muito das escolhas que fazemos para nossas vidas.
Devemos respeitar a nossa essência e limitações de nossa personalidade, mas, sempre podemos escolher tornarmos melhores.

Se eu me tornei a pessoa que queria ser? Sinceramente durante uma boa parte da minha infância e adolescência, passei achando que havia algo errado comigo:
 Pois, eu sempre achava que tinha de copiar as qualidades dos outros para ser melhor e óbvio que as qualidades dos outros são dos outros, e que cada ser humano tem a sua própria identidade.

Custei muito a encontrar a minha. Hoje, em meio a algumas eventuais crises existenciais momentâneas, creio que me encontrei.
Tal qual a garota que aprendeu a se sentir feliz sem um "cara", eu também aprendi que não podemos depender dos outros para sermos felizes.
Quem está ao nosso lado deve vir apenas para SOMAR.
Feliz é aquele que encontrou felicidade em si mesmo, e sabe partilhar com os demais.


                                                                      ********

JDaviMiguez ( convidado):

Sobre o vídeo em questão:

O que eu entendi, foi que ela depois de dar muitas cabeçadas pela vida, atrás de ser o que não era, finalmente, descobriu que precisava ser somente ela mesma.


                                                                    ********