quarta-feira, 4 de novembro de 2015

ROSA LIBERTA



Habito em novo local:
do zero, eu recomeço,
tentando levar uma vida normal.

Não sei se sou mais forte agora...
ainda sensível me encontro,
só sei que a atitude me consola.

Sou uma nau a procura de um cais seguro.
sou o frio, esperando o cobertor.
sou a esperança de um novo futuro...

Alcanço enfim, um voo maior:
a liberdade sonhada,
por tempos almejada.

Sou tristeza contida.
entretanto, rosa liberta!
sem corrente, sem ferida.

Apenas um nó desfeito,
e um olhar de compreensão,
de que tudo nessa vida, tem uma razão.

Fátima Abreu

terça-feira, 3 de novembro de 2015

RECOMEÇO

 


Meus amigos e leitores:
Depois de muitos dias sem postar nada no blog, por motivos de força maior (vários), estou de volta.
Sentiram falta?
Bem, já morando em outra casa na mesma rua de antes, aqui posso recomeçar do zero minha vida, até quando DEUS quiser...


Sempre ouve-se dizer por aí, que a melhor terapia é o trabalho. Então, desde que aqui estou, só tenho feito isso, e segundo uma de minhas vizinhas, o título de"formiga atômica"cai muito bem para mim...
Pois ela me vê entrando e saindo, correndo de um lado para outro, o dia inteiro.
Espero renovar a vida nesse novo lar.
E agora, como não tenho mais sofá e nenhum outro móvel, porque apenas mudei com a minha cama e a de minha filha Catarina, acho que mudarei o nome do blog.
Trouxe apenas caixas com objetos de uso pessoal e a minha cafeteira (não poderia deixar, pois como sabem, café é uma de minhas paixões e meu único vício), 4 pratos e 4 talheres, uma xícara e um copo (bem, agora ganhei mais 4 copos da minha filha casada, a Izabel).
Panelas? Somente a de pressão e mais uma outra. Sem liquidificador, frigideira, leiteira, tabuleiro, forma de pudim, tábua de carne, concha de sopa... Nada disso tenho mais.

Também não tenho mais TV, tampouco o computador que agora teclo, é meu: Está sendo emprestado também pela minha filha Izabel.
Com o tempo, conto como cheguei nessa situação.

RECOMEÇAR, sempre é bem difícil...
Mas, minha vida sempre foi assim, desde meu primeiro casamento aos 16 para 17 anos...
Sempre uma vida de altos e baixos.
Entretanto, a FÊNIX renasce das cinzas de outrora...

FÁTIMA ABREU FATUQUINHA