quarta-feira, 30 de março de 2016

Segredos & Mistérios dos Montes



Essa foto eu tirei de um monte em Inoã, bairro aqui em Maricá, RJ.
Foi no primeiro dia do ENEM de 2014, quando acompanhei minha filha Catarina, até o portão da escola onde faria a prova.
Olhei para o alto e achei que tinha algo especial nesse monte, entretanto, não observei nada de início. Apenas tirei a foto, como faço dos vários montes que a natureza brindou a cidade de Maricá.
Quando cheguei em casa e fui passar do meu celular para o computador, pude notar a cabeça de uma ave, possivelmente um papagaio.
Você leitor, consegue visualizar também?

Tenho participado de grupos no facebook sobre mistérios, contos  e lendas sobre os intraterrenos e extraterrestres.
 Podem me chamar de 'maluquinha' os céticos, mas há coisas que são incompreensíveis para aqueles que não tem a mente aberta para tais segredos.  Esses, mantidos entre sete chaves, durante milhares de anos a fio...
Poderiam ler meu livro: "A VERDADE DE GAIA", para se ter uma ideia das coisas que menciono aqui esporadicamente em alguns textos...

Civilizações escondidas e milenares habitam nosso planeta, dividindo conosco esse orbe de expiações. Porém, no caso deles, estão mais evoluídos em muitos aspectos, principalmente:
Espiritual, moral e socialmente.
Dizem as lendas que cada monte marcado com uma imagem, geralmente de uma ave, (mas pode ser de outro animal também), são portais para esses mundos invisíveis aos olhos humanos normais.
Como um Universo paralelo, escondido dentro do relevo que se tem em todo planeta Terra.
São passagens que se  interligam para um local central:
AGARTHA, que a capital acredita-se, seja SHANGRI-LÁ.

Vou transcrever um trecho do meu livro para cá: ( parte do capt 9) e quem sabe, os leitores(as) queiram depois comprar o livro, por simples curiosidade?

                                   

CAPT 9

O MITO(?) DA TERRA OCA

Uma aeronave entrava na passagem entre as geleiras. O polo Norte escondia muitos segredos. Poucos sabiam...
Havia uma entrada em forma de círculo, que levava a um local desconhecido pela Humanidade. 
Era um lugar paradisíaco, escondido pelos satélites e mapas. Estava ali desde que os sobreviventes das antigas civilizações da Lemúria(12.000 anos atrás) e Atlântida, tiveram que escolher outro ambiente para viverem.
O grau de desenvolvimento dessas duas culturas era fantástico, para a época que houve o grande cataclismo.
Eram seres muito semelhantes a nós, em aparência, que vieram de outros Sistemas. Um povo das Estrelas que tinham a missão de ajudar o homem comum a desenvolver: Saindo assim, do estágio de barbárie que se encontrava, até então.

Os atlantes se espalharam pelo mundo.
Mas, os lemurianos que se salvaram, (25.000) migraram para essa região congelada do planeta, levando segredos que para o Homem comum, seriam desastrosos.
E lá, seus descendentes novamente se multiplicaram. Incrivelmente, sofreram uma mutação e as gerações que vieram depois, cresceram tanto, que chegavam a 3 metros de altura. Atualmente, o “lar pátria” é no Monte Shasta.
Alguns jovens querendo conhecer o mundo exterior receberam autorização para isso. Porém, nada poderia ser comentado sobre sua terra natal.
Misturaram-se entre vários povos e até ajudaram a desenvolver o caminho da Humanidade. O homem comum os chamava de deuses.
 No Egito, na Grécia, nas Américas dos incas, astecas e maias, até mesmo na Índia e entre alguns outros povos do Oriente.

Com o passar das centenas e centenas de anos, eles acharam  que o conhecimento que tinham, ainda era perigoso para o homem, porque esse, não aprendera até então, a noção de companheirismo, união, perdão e tolerância. As guerras se seguiam em toda parte. Com ela, a miséria, fome e as doenças.
Se os seres humanos comuns tivessem a tecnologia que  atlantes e lemurianos possuíam, a Terra já teria sucumbido por tantas guerras desnecessárias. Por que sabiam disso?
Porque eles mesmos sucumbiram devido ao poder e conhecimento que tinham em mãos.

Num passado longínquo, vários povos de partes diferentes do globo, relataram sobre uma batalha de duas grandes civilizações: E como tinham “máquinas voadoras” a maior parte dessa batalha, foi vista nos céus. Alguns pintores da Antiguidade colocaram esse cenário travado entre lemurianos e atlantes em suas pinturas.
Os lemurianos resolveram não guerrear mais, em nome da Humanidade. Ajudariam a evolução humana e planetária, dando suporte à distância.
Mas, os atlantes tinham sede de poder e queriam os humanos comuns, como meros serviçais. Como o mal se corta pela raiz, tal como um castigo dos céus, já previsto pelos sacerdotes e sacerdotisas, o continente inteiro então pereceu. 

Os descendentes dos lemurianos voltaram então, para seu local de origem:
A chamada TERRA OCA. O local comentado por umas pouquíssimas pessoas que diziam ter chegado até lá. O centro da Terra teria seu próprio sol, assim como os outros planetas também. As civilizações intraterrenas de quinta dimensão agem tanto na forma física, como etérea. 

 A Terra Oca recebeu o nome de Agartha. Um local onde  animais( muitos, extintos há milhares de anos, na superfície, como mamutes, por exemplo) e homens vivem em harmonia. Seus habitantes vivem centenas de anos. Há vales, árvores, rios, flores e um clima adorável.
Também existiria uma grande biblioteca, com muitos arquivos que revelam a História Real da Humanidade.
Somente pessoas de um alto grau evolutivo, poderia entender e ter noção daquelas revelações dos escritos preservados há milênios.
 A presença alienígena remota dos tempos da Criação:
Seres das Plêiades vieram primeiro, depois de outras raças. Uniram-se com as mulheres humanas e dessa forma, foram povoando o planeta.
Nos textos antigos, os seres vindos em suas naves, eram tidos como divinos. Sendo assim, na linguagem metafórica de cada época, os homens faziam seus registros...


Fátima Abreu



*SE QUISER EM EBOOK
Pelo email: fatuquinha@gmail.com
Peça já o seu, por apenas 10 Reais 




Nenhum comentário:

Postar um comentário